Diabetes

O que é Diabetes? Entenda os conceitos básicos dessa doença

diabetes-tipo-1

A diabetes é uma enfermidade conhecida pelo aumento da glicose no sangue. Pode acontecer em função de problemas na secreção ou no movimento do hormônio insulina, que á fabricado no pâncreas, pelas denominadas células Beta.

A ação primordial da insulina é favorecer a entrada de glicose nas células de maneira que possa ser usada para várias atividades celulares. A ausência da insulina ou um problema na sua ação causa, desta forma, em acúmulo de açúcar na corrente sanguínea, o que se denomina hiperglicemia.

Classificação da diabetes

Hoje em dia, já se sabe que existem vários fatores que podem conduzir ao quadro da enfermidade, mas, a maioria das situações está em apenas dois grupos: Diabetes Tipo 1 e Diabetes Tipo 2.

Diabetes Tipo 1

Esse tipo de diabetes se origina na destruição das células beta do pâncreas em função de um procedimento imunológico. Isso significa, que pela construção de anticorpos pelo próprio organismo contra as células ocorre a falta de insulina.

Nessa situação, pode se detectar em exames de sangue, o surgimento desses anticorpos que são ICA, IAAs, GAD e IA-2. Vale destacar que esses fatores aparecem em até 90% das ocorrências de diabetes tipo 1 na hora do diagnóstico. Geralmente, aparece em crianças e jovens, no entanto, pode ser desenvolvido em pessoas de qualquer idade.

Mensurar Diabetes

A situação clínica mais comum envolve sintomas, como, por exemplo: sede, diurese e muita fome, perda de peso, fadiga e fraqueza, com uma ação bastante acelerada.

Se o tratamento não for feito de maneira urgente, os sintomas podem ser agravar chegam a desidratação aguda, sonolência, vômitos, problemas para respirar e até entrada em coma. Essa situação é conhecida como Cetoacidose Diabética e precisa do paciente ser internado para receber tratamento adequado.

Diabetes Tipo 2

Nesse tipo a enfermidade se apresenta em boa parte dos pacientes, aproximadamente 90% dos casos. Nessas pessoas, a insulina é feita pelas células beta do pâncreas, mas, a sua atividade é problemática, causando um quadro de resistência da insulina. Isso acaba desencadeando a elevação da produção de insulina para deixar a glicose em taxas normais. Quando isso não se torna mais possível, ocorre o aparecimento da doença.

A instauração do quadro clínico é mais devagar e os sintomas, que são sede, diurese, dores nos membros inferiores e mudanças visuais, podem levar até alguns anos para se manifestar. Se não forem reconhecidos e receberem o devido tratamento, podem aumentar para uma situação de desidratação e até coma.

De maneira oposta a Diabetes Tipo 1 existe, normalmente, na relação com a elevação do peso e sobrepeso, atingindo pessoas adultos após os 50 anos. No entanto, se percebe que o crescimento do aparecimento em jovens e até em crianças.

Essa situação ocorre em função, especialmente, da elevação do consumo de gorduras e carboidratos e ainda ao sedentarismo. Desta forma, o endocrinologista tem a possibilidade de identificar a doença ainda no início, já que a grande quantia dos pacientes que buscam esse profissional da saúde por causa de problemas com a obesidade.

Diabetes Gestacional

Mas, é preciso prestar ainda mais atenção na diabetes identificando-a ao longo de uma gestação. A esse caso especial é dado o nome de Diabetes Gestacional.

Essa situação pode ser temporária ou não, sendo que no fim da gravidez, a paciente precisa passar por um procedimento investigado e seguir com o acompanhamento médico.

Geralmente, esse quadro clínico é descoberto até o terceiro trimestre da gestação por meio de um exame de sobrecarga de glicose. As grávidas que contam com um passo de diabetes gestacional, com perdas de fetos, má formações, hipertensão arterial, sobrepeso ou histórico da família com relação a diabetes não devem aguardar até o fim da gestão para passar por esse exame, pois existe a possibilidade de contrair a doença é mais elevada.

Variações da diabetes

Existem ainda alguns tipos de diabetes que são bem mais incomuns e que contam com defeitos genéticos da ação da célula beta, (MODY 1, 2 e 3), problemas genéticos na ação da insulina, enfermidades do pâncreas, como, por exemplo: a pancreatite, tumores pancreáticos e hemocromatose, Síndrome de Cushing, hipertireoidismo, acromegalia e a utilização de determinados remédios.

Para ajudar a controlar todos os efeitos da diabetes, o Programa Diabetes Controlada é uma das melhores opções da atualidade.

Comentário