Alimentação Saudável

Noni: Uma fruta com nome estranho e ótimas propriedades

fruta noni

Muito tem se falado de um fruto que teria supostas propriedades quase que “milagrosas”. Esse fruto teria diversas dessas propriedades e por esse motivo estaria fazendo tanto sucesso. E tanta polêmica também.

Estamos falando da fruta noni, que tem chamado a atenção de muita gente e também tem despertado muita polêmica, dividindo opiniões em praticamente todos os lugares por onde ela tem passado. E no Brasil não tem sido diferente.

Mas o que de fato é a fruta noni? Qual a sua origem? E, o mais importante, para que ela serve?

Essas perguntas tão fundamentais para o entendimento sobre essa polêmica fruta serão respondidas aqui, nas próximas linhas, portanto, preste muita atenção, já que a fruta noni com certeza acabará cruzando o seu caminho em algum momento.

O que é a fruta noni?

fruta noniMorinda citrifolia é o nome cientifico da fruta noni, que é uma fruta originária da região do sudeste asiático, mas que se difundiu por diversos países, como Porto Rico, Taiti, República Dominicana e Polinésia Francesa.

É uma fruta verde com tamanho aproximado ao de uma maçã média que tem como principais características o forte cheiro exalado por ela e pelo seu formato excêntrico.

O forte cheiro que ela exala inclusive lhe conferiu alguns nomes populares, como fruta do queijo ou fruta de vomito. Nomes nada honrosos, mas que também não interferiram em absolutamente nada para que a fruta noni acabasse por se tornar uma fruta tão desejada por causa de suas supostas propriedades.

Quais as propriedades da fruta noni

Há diversas propriedades que vem sendo atribuídas a esse fruto de formato exótico, mas alguns se destacam e chamam mais a atenção. São eles os seguintes:

  • Por ter ômega 6 e óxido cítrico em sua composição, a fruta noni teria a propriedade de dilatar os vasos sanguíneos, o que melhoraria a oxigenação e daria à pessoa uma melhor memória;
  • Por ser rica em vitamina C, a fruta noni é considerada uma excelente fonte dessa vitamina;
  • Há alguns especialistas que afirmam (mesmo sem ter sido comprovado cientificamente) que a fruta noni possui betacaroteno e acubina em sua composição;
  • Por ter escopoletina, que é uma substância antibacteriana, anti-inflamatória e antifúngica, a fruta noni conseguiria baixar os níveis de pressão arterial de uma pessoa.

Apesar de possuir tantos supostos predicados, ainda não há comprovação cientifica sobre todos eles, portanto, há também muitos críticos em relação à prática de usar a fruta noni como remédio, por exemplo.

Decreto da ANVISA

E no Brasil, a polêmica ganhou mais um importante capítulo com o decreto da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), que proibiu a importação, a venda e o uso de qualquer produto derivado da fruta noni no país.

O importante órgão regulador brasileiro alegou por meio de nota oficial que os estudos sobre as ações e propriedades da fruta noni ainda são inconclusivos, mas já apontam para casos em que danos ao fígado e aos rins de pacientes voluntários observados foram registrados.

No Recife, por exemplo, é muito comum e fácil encontrar frutas noni sendo comercializadas em qualquer esquina, literalmente. O que mostra que o próximo passo da proibição da ANVISA deverá ser aumentar a fiscalização, pois se de fato, a fruta noni causar danos à saúde das pessoas, se trata de um caso de saúde pública. Confira abaixo um vídeo sobre a venda de Noni em Salvador:

A polêmica em torno da fruta noni

noni propriedades

Como em toda polêmica, além dos críticos ferrenhos, há também os defensores da fruta noni, que alegam que conseguem comprovar diversas das propriedades com base na observação das melhorias apresentadas pelos usuários da fruta.

O consumo normalmente é feito em forma de suco, que ainda é largamente encontrado em algumas capitais do Brasil.

Havia inclusive uma importante fabricante de suco de fruta noni que atuava no Brasil, mas que decidiu encerrar suas atividades de modo oficial por aqui alegando que havia “muitas exigências dos órgãos governamentais”. Essa empresa era a norte-americana Morinda, que ainda atua em mais de 30 países, incluindo nossos vizinhos Chile, Uruguai, Paraguai e Peru.

As pessoas que defendem o uso da fruta noni como medicamento e para obter seus benefícios medicinais alegam que se de fato a fruta fizesse algum tipo de mal à saúde, não haveria tantos países que aceitassem a venda e o consumo de derivados da fruta noni como há.

Eles afirmam que os estudos, de fato, ainda não são conclusivos, mas que por exatamente por isso não deveriam levar à proibição da venda da fruta noni no Brasil, como atesta o decreto da ANVISA.

Já os críticos, incluindo a própria agência brasileira, alegam que justamente por não serem conclusivos, esses estudos também não deveriam servir de base para fundamentar a venda e o consumo de derivados da fruta noni.

Pelo visto, essa polêmica ainda vai muito longe.

Comentário