Doenças

Melatonina para enxaqueca: funciona mesmo?

Você provavelmente já ouviu falar no uso de melatonina para enxaqueca, caso você sofra com o problema com certa frequência. A busca constante por soluções para as crises faz parte da rotina de quem sofre com a enxaqueca, na esperança de reduzir os danos desta condição debilitante.

A verdade é que não existe solução mágica, mas existem vários tratamentos que podem ajudar a lidar com o problema – entre eles a melatonina. No lado negativo, há o fato que nenhum tratamento é eficiente com 100% das pessoas.

Por isso, é necessário saber como o tratamento funciona, e avaliar se ele é eficiente com você a partir de testes. De qualquer maneira, sempre é útil conhecer as opções, e entender como funciona o tratamento de melatonina para enxaqueca é uma forma de aumentar seu “arsenal” de possíveis soluções contra o problema.

Saiba mais sobre o assunto e entenda como o tratamento funciona:

O que é melatonina?

Melatonina é um hormônio secretado pela glândula pineal no cérebro humano. É conhecido como o hormônio do sono, pois tranquiliza e auxilia a fazer você dormir. Muitas pessoas, atualmente, utilizam comprimidos de melatonina para acelerar o sono.

Geralmente, o corpo humano não produz melatonina em ambientes iluminados ou ensolarados. O hormônio é naturalmente estimulado a em ambientes escuros, à noite. Quando o corpo é bem regulado, existe um ciclo de doze horas (durante a noite) em que os níveis de melatonina são mais altos, reduzindo assim que amanhece.

A grande novidade para o hormônio está em seu uso para a potencial tratamento de enxaquecas, que foi revelado recentemente através de estudos.

Como é feito o tratamento com melatonina para enxaqueca?

Enxaquecas são condições neurológicas. Elas normalmente são causadas por desequilíbrios químicos no cérebro, afetando a maneira como ele funciona. Uma série de fatores funcionam como gatilho para a condição. Entre estes fatores, o excesso ou a falta de sono são apontados como gatilhos recorrentes.

Um estudo publicado na Headache – periódico especializado no assunto – indicou que pacientes com enxaquecas crônicas apresentavam níveis anormalmente baixos de derivados de melatonina em sua urina. Trata-se de uma confirmação de estudos mais antigos que associavam baixos níveis de melatonina às enxaquecas. Dessa maneira, pode-se entender que o ajuste hormonal auxilia na prevenção das crises.

O que dizem os estudos?

Atualmente, os estudos sobre o uso de melatonina para enxaqueca apresentam resultados variados. O mais conhecido deles, publicado no periódico Neurology, apresentou que três quartos dos participantes que receberam suplementação de melatonina perceberam uma redução de ao menos 50% na frequência das crises de enxaqueca. Além disso, percebeu-se uma redução na duração de cada crise.

Outro estudo publicado no mesmo periódico, no entanto, indicou que tratamentos com placebo obtiveram os mesmos resultados que os tratamentos com melatonina, indicando os aspectos relacionados ao próprio estado psicológico do paciente.

Sabe-se, no entanto, que vários médicos especializados no assunto já realizam tratamentos experimentais com a substância. Um de seus aspectos positivos é a baixa quantidade de efeitos colaterais, sobretudo no que diz respeito às interações com outros medicamentos. Significa dizer que – diferentemente de vários outros tratamentos preventivos medicamentosos – o risco do teste com melatonina para enxaqueca é bastante reduzido.

Por isso, converse com seu médico a respeito da possibilidade, e considere testar a opção para avaliar se ela gera resultados positivos para você.

Recomendados para você:

Comentário