Doenças

Massagem para enxaqueca ajuda no tratamento?

Muito se fala no uso de massagem para enxaqueca como um método preventivo e, até mesmo, de tratamento dos sintomas que já acometem a pessoa. Na verdade, essa prática está longe de ser novidade: há evidências que indicam que a massagem é utilizada como uma terapia há milênios por várias culturas distintas, incluindo os egípcios, indianos, chineses, árabes e japoneses.

Na prática, a massagem nada mais é do que um método de pressionar ou exercer outro tipo de interação física sobre os tecidos e músculos. No caso da enxaqueca, essa ação pode ajudar a reduzir o número de crises, segundo estudos, desde corretamente aplicada.

Significa dizer que a massagem para enxaqueca é um uso específico e distinto de outros tipos de massagem. Ao reduzir a tensão muscular, o estresse e a dor, ela pode ser uma grande aliada no tratamento da enxaqueca. Quando feita de maneira irresponsável, no entanto, é possível que até mesmo piore a situação do paciente.

Saiba mais sobre essa questão, e entenda como a massagem para enxaqueca pode ajudar você:

Como a massagem para enxaqueca pode ser benéfica?

Alguns estudos demonstraram que a massagem ajuda a reduzir preventivamente as dores de uma crise de enxaqueca, além de reduzir temporariamente as dores de quem já está passando por uma crise.

Entende-se que uma massagem bem executada é capaz de liberar serotonina, que auxilia a reduzir a sensação de dor, gerando conforto e bem-estar. Uma maior presença de serotonina liberada significa que a dor é menos percebida pelo paciente.

Quais são os principais estudos divulgados sobre o assunto?

Por se tratar de uma utilização especialmente desenvolvida em culturas orientais tradicionais, a publicação de estudos com padrões científicos ainda é incipiente nesta matéria. Há bastante destaque, no entanto, para um estudo de 2006 que selecionou 47 pessoas que sofrem de crises de enxaqueca regulares.

Descobriu-se que aqueles que recebiam a massagem regularmente apresentaram uma redução na frequência das crises. O estudo não conseguiu concluir se essa melhoria estava diretamente relacionada a questões químicas do cérebro proporcionadas pela massagem, ou pela melhoria na qualidade do sono que foi apresentada por esses pacientes. De qualquer maneira, as melhoras foram observadas no grupo que recebeu as massagens de forma regular.

Há riscos no uso de massagem para enxaqueca?

Pode parecer exagerado dizer que massagens podem ser arriscadas ou apresentarem efeitos colaterais, mas a verdade é que a movimentação intensa sobre tecidos e músculos podem sim gerar algum problema, especialmente quando feita por pessoas que não são devidamente qualificadas para a prática.

Algo comum neste cenário é o dano a nervos, que pode ser causado em função do esforço inadequado sobre os tendões ou terminações nervosas. O uso de produtos para massagem também pode ser um problema em relação a alergias e reações da pele com o atrito exagerado, por exemplo.

Além disso, quem já está passando por uma crise de enxaqueca pode ter os sintomas piorados por uma massagem, especialmente se a enxaqueca for acompanhada da aura. Pessoas com problemas de pele, fragilidades físicas ou que estejam passando por problemas musculares ou ósseos também não devem se expor a massagens sem a devida recomendação médica.

Recomendados para você:

Comentário