Alimentação Saudável

Macarrão: vilão ou mocinho da dieta esportiva?

macarrao-na-dieta

Se as proteínas são o grupo alimentar responsável pela formação dos músculos, os carboidratos são os responsáveis diretos pela aquisição de energia. O corpo humano está sempre queimando carboidratos a fim de obter a energia necessária para inúmeras atividades diárias desempenhadas por nós.

O macarrão, nesse caso, é um dos principais representantes do grupo alimentar dos carboidratos, juntamente com os pães, os cereais, o arroz e outras massas.

É comumente disseminado que os carboidratos podem ser os maiores inimigos de uma dieta saudável, porém para muitos casos essa afirmação não procede. Principalmente quando pensamos nos carboidratos de origem integral.

Integrais são mais saudáveis

Alimentos constituídos por grãos integrais não passam pelo processo de refinamento, portanto mantêm suas propriedades nutricionais ajudando a prevenir doenças como obesidade, diabetes e problemas intestinais. Logo, pães, arroz e massas integrais são as melhores escolhas. Além do número maior de fibras, em sua grande maioria, possuem menos açúcar que as opções brancas e refinadas.

Lembrando que consumir alimentos integrais em excesso, não faz bem à saúde.

Como consumir

macarrao-na-dietaO macarrão também é uma boa alternativa para antes e depois dos treinos. Muitos pratos clássicos, formados a partir da combinação de massa e vegetais ou massa e carnes, são algumas das possibilidades. O macarrão à putanesca (acompanha anchova, atum, alcaparra e azeitona) ou um espaguete simples alho e óleo, acompanhado de berinjela e cebola; combina os benefícios dos carboidratos completos, vegetais antioxidantes e o ômega 3.

A abundância de carboidratos é também extremamente importante para manter resistência suficiente e potencializar seu rendimento em uma competição. O macarrão à primavera, por exemplo, composto por uma variedade de vegetais regados a azeite erva e alho, é o combustível perfeito para uma longa jornada de desgaste físico. Os carboidratos complexos são utilizados para a manutenção de energia, o azeite atua como anti-inflamatório nas articulações, e os vegetais carregados de antioxidantes ajudam a proteger os músculos, as articulações, e os tecidos celulares afetados pelo atrito entre os pés e o chão durante uma corrida, por exemplo.

O que evitar

O corpo humano enfrenta uma maior dificuldade ao tentar quebrar e digerir comida processada. Isso quer dizer que ele gasta muito mais energia digerindo alimentos quimicamente alterados. Um dos maiores vilões nesse caso é, na verdade, o acompanhamento do macarrão: o queijo processado.

Logo, se quiser escolher algum tipo de queijo para incrementar seu macarrão, opte pelos não processados. Há os queijos frescos, curados, cozidos e prensados. Muitos deles têm uma quantidade de proteínas superior a carnes e a frutas oleaginosas (amendoim, amêndoa, avelãs, azeitonas, pinhão, nozes, pistache, castanhas etc). Além disso, são ótimas fontes de cálcio.

Na véspera de uma competição

Inserindo pão, arroz e massa integral em sua dieta, certamente você terá uma maior quantidade de fibras no organismo – o que ajudará a regular a quantidade de açúcar no sangue. Porém, comer macarrão comum (feito com farinha refinada) facilita o trabalho digestivo do corpo, pois o tempo gasto no processo de digestão será menor.

As fibras levam um tempo maior para alcançar o organismo e podem contribuir para um esforço excessivo do sistema gastrointestinal, portanto reduzi-las antes de um grande evento esportivo pode auxiliar o corpo a trabalhar mais tranquilamente.

Independente das suas escolhas específicas no dia anterior ao evento; procure consumir carboidratos, proteína magra, não muita gordura, e nada que possa fazer com que você levante nauseado no dia seguinte. Não adote nada muito diferente ou novo em seu cardápio na véspera de uma competição!

E você? Inclui o macarrão na sua dieta? Como? Conte para a gente nos comentários!

Comentário