Doenças

Saiba as Causas, os Sintomas e os Tipos de Hipertensão

o que é hipertensao - veja também os sintomas

Considerado um dos males “invisíveis” que mais afetam a vida das pessoas ao redor do mundo, a hipertensão pode inclusive levar à morte, em casos extremos.

No mundo moderno, a hipertensão, devido aos hábitos alimentares degradantes e ao estilo de vida estressante das grandes cidades, tem se tornado um dos principais motivadores de internações e de problemas relacionados à saúde.

O que é hipertensão?

o que é hipertensao - veja também os sintomas

A hipertensão é uma enfermidade crônica que tem como principal característica o aumento dos níveis da pressão sanguínea dentro das artérias. Isso acaba por fazer com que o coração tenha de se esforçar muito mais do que o normal para manter o sangue circulando pelos vasos sanguíneos.

Essa maior pressão pode ser acarretada por diversos fatores, que vão desde aos aspectos emocionais, até aos relacionados aos hábitos alimentares do individuo.

É também popularmente conhecida pelo nome de “pressão alta”, e acomete ao menos 20% da população brasileira. Quando focamos apenas nas pessoas com obesidade, esse índice sobre para 50%, o que só reforça como os hábitos alimentares também tem forte influência nesse tipo de problema.

Tipos de hipertensão

A hipertensão pode ser classificada em três tipos diferentes, de acordo com os níveis da pressão arterial do individuo. É de acordo com essa classificação, que se consegue determinar qual o risco de morte cardiovascular do paciente, que pode variar de leve, moderado, alto ou muito alto.

  • A hipertensão de estágio I é aquela que varia entre os níveis de medição que vão de 14 por 9 até 16 por 10.
  • A hipertensão de estágio II é aquela que varia entre os níveis de medição que vão de 16 por 10 até 18 por 11.
  • A hipertensão de estágio III é aquela cujos níveis de medição já se encontram acima de 18 por 11.

Fatores determinantes para a hipertensão

Dentre os fatores considerados determinantes, a hereditariedade responde por 90% dos casos de hipertensão, já que ela pode ser herdada dos pais.

Os 10% restantes se dividem em situações onde a hipertensão está relacionada à outra doença, que pode ser um distúrbio em uma glândula endócrina. Um bom exemplo é a glândula suprarrenal. Problemas com a tireoide também podem acarretar hipertensão nos indivíduos.

Outros fatores importantes que podem ser determinantes para casos de hipertensão são relacionados aos hábitos do individuo. Dentre eles se destacam os seguintes:

  • Ser fumante;
  • Consumir bebidas alcoólicas de modo excessivo;
  • Ser obeso;
  • Passar por situações de estresse;
  • Consumir grandes quantidades de sal em sua dieta;
  • Não praticar atividades físicas;
  • Dormir mal;
  • Apresentar níveis altos de colesterol ruim (LDL);
  • Ter diabetes.

Outro fator determinante importante para causar hipertensão é a idade, que quanto mais avançada for, maiores chances trarão ao individuo de apresentar quadro hipertensivo.

Isso porque com o passar dos anos as artérias acabam por envelhecer também, juntamente com o corpo, apresentando menor capacidade de dilatação. Por esse motivo, a incidência da hipertensão entre pessoas com mais de 50 ou 60 anos sobe para 70%.

Sintomas da hipertensão

Identificar quando uma pessoa sofre de hipertensão pode ser tarefa simples, já que algumas características ficam evidentes, até mesmo para um leigo. Mas o problema é que a grande maioria desses sintomas e características que explicitam o problema só aparece quando a pressão já atingiu níveis muito altos. Por isso o problema é conhecido como “mal invisível”.

Os principais sintomas que podem ser observados por alguém com crise hipertensiva são:

  • Dores no peito;
  • Fortes dores de cabeça;
  • Zumbidos nos ouvidos;
  • Muita fraqueza;
  • Tonturas;
  • Sangramento da cavidade nasal;
  • Visão embaçada.

Logo, é essencial que uma pessoa que já tenha histórico hipertensivo faça uso de algum tipo de medicação que ajude a controlar o problema, bem como também realize medições regulares dos índices de sua pressão arterial, a fim de não ter qualquer tipo de susto.

Isso porque os sintomas, como já dito, são aparentes apenas quando os níveis da pressão arterial já estão muito altos, o que pode representar a diferença entre a vida e a morte do individuo.

Como é feito o diagnóstico?

Para que se tenha um diagnostico rápido sobre a situação do individuo, uma medição simples é o mais indicado. No entanto, para que se tenha um resultado mais preciso sobre a real situação da pessoa se faz necessário a utilização de medidores que acompanhem a pressão arterial por um período maior de tempo, como por exemplo, 24 horas.

Desse modo, é mais fácil determinar se uma pessoa é hipertensa ou se apenas teve um pico em sua pressão arterial provocado apenas por um quadro especifico.

Como tratar a hipertensão?

Antes de qualquer coisa, é fundamental que o hipertenso tenha em mente que não há cura para a hipertensão. Porém, há formas de se fazer o controle dos índices de pressão arterial e melhorar a qualidade de vida do individuo.

Os principais são:

  • Cuidar do peso por meio de mudanças nos hábitos alimentares;
  • Diminuir a utilização de sal;
  • Praticar atividades físicas de modo regular;
  • Deixar de fumar;
  • Consumir bebidas alcoólicas de modo moderado;
  • Eliminar da dieta alimentos gordurosos;
  • Controlar o diabetes.

Comentário