Diabetes

Guia da Cetoacidose Diabética

diabetes-vida-cedlab

A Cetoacidose diabética é uma situação séria que pode causar uma situação de coma ou até chegar à morte. A cetoacidose diabética ocorre quando as taxas de açúcar, ou seja, de glicose no sangue do paciente diabético estão muito elevadas. A insulina é responsável por propiciar que a glicose que está no sangue adentre as células do organismo e se transforma em fonte de energia.

Quando existe a ausência da insulina, dois problemas acontecem ao mesmo tempo: a taxa de açúcar no sangue cresce e as células encontram dificuldades em função da falta de energia.

Para impedir que as células deixem de funcionar, o organismo começa a utilizar os estoques de gordura para fazer essa transformação para energia. Mas, nesse mecanismo em que o organismo toma a gordura como fonte de energia, ocorre a formação de cetonas.

As cetonas são ácidos que ficam acumuladas no sangue e surgem na urina. Taxas altas de corpos cetônicos podem até mesmo causar o envenenamento do corpo.

Quando as taxas ficam muito elevadas, ocorre a cetoacidose diabético. Basicamente, isso se trata de uma emergência médica e precisa ser tratada rapidamente. A cetoacidose diabética acontece geralmente em pacientes que tem a diabetes tipo 1, mas também pode ocorrer com pessoas que sofrem com a diabetes tipo 2.

O que pode desencadear a cetoacidose diabética?

Uma enfermidade, uma infecção ou até mesmo um problema simples pode resultar na produção de taxas altas de determinadas hormônios pelo corpo, como, por exemplo: a adrenalina ou o cortisol.

Infelizmente, esses hormônios atuam de maneira contrária à insulina em algumas situações, causando alguma ocorrência de cetoacidose diabética. Pneumonia e infecções urinárias estão bastante ligadas a casos de cetoacidose diabética

Além disso, dificuldades com a terapia da insulina podem fazer com que o diabético tenha uma quantidade insuficiente de insulina, causando uma situação que desencadeia a cetoacidose diabética. Por isso, é necessário ficar atento também a outros fatores de risco, como, por exemplo:

  • Estresse;

  • Trauma físico ou emocional;

  • Febre muito alta;

  • Processo cirúrgico;

  • Infarto;

  • Consumo abusivo de bebidas alcoólicas e drogas ilícitas, principalmente, a cocaína;

Quais elementos podem representar um risco iminente para o diabético?

A chance de desencadear a cetoacidose diabética pode crescer drasticamente, se o diabéticos tiverem:

  • Diabetes tipo 1;

  • Idade inferior aos 19 anos;

  • Sofrido há pouco tempo algum trauma emocional ou físico;

  • Altos níveis de estresse;

  • Febre alta;

  • AVC;

  • Infarto;

  • Consumir abusivamente de tabaco;

  • Consumo abusivo de bebidas alcoólicas e drogas ilícitas.

Mesmo que a cetoacidose diabética seja muito incomum em diabéticos do tipo 2, a situação pode ocorrer mesmo assim.

Quais são os principais sintomas da Cetoacidose diabética?

Normalmente, a cetoacidose diabética geralmente se avança no organismo de maneira lenta. Por isso, é essencial ficar muito atento aos seguintes sintomas:

  • Muita seca e boca constantemente seca;

  • Micção constante;

  • Taxas de glicose elevadas na corrente sanguínea;

  • Índices elevados de cetonas presentes na urina.

Posteriormente, outros efeitos podem surgir: fadiga freqüente, pele seca ou corada, dor abdominal acompanhada de náuseas e vômitos, problemas para respirar, odor frutado durante a respiração e problemas para se manter concentração em alguma atividade especifica.

Como é realizado o tratamento da Cetoacidose diabética?

O tratamento para cetoacidose diabética, normalmente, conta com vários métodos para fazer com que as taxas de açúcar e de insulina na corrente sanguínea voltem ao normal. E, caso, a cetoacidose diabética seja oriunda de alguma infecção ou mesmo enfermidade terá um tratamento para as suas respectivas complicações.

Vale destacar também que nesses casos, a insulina, normalmente, é ministrada através de uma via intravenosa até que a taxa de açúcar no sangue fique em torno de 240 mg/dL ou inferior.

Quando as taxas de açúcar na corrente do sangue atingir um padrão dentro do aceitável, o paciente está liberado para receber a sua insulina da maneira tradicional.

Como lidar naturalmente com a diabetes no seu cotidiano?

No começo, não é fácil para ninguém encarar a situação da diabetes. Mas, com um tratamento adequado e acompanhamento de qualidade qualquer pessoa pode conduzir a sua rotina de maneira normal e saudável.

Para possibilitar essa chance aos diabéticos, o programa Diabetes Controlada oferece um acompanhamento médico por meio de vídeos aulas. Criado pelo Doutor Rocha, esse sistema já ajudou mais de 27 mil pessoas a manterem a sua diabetes naturalmente sob controle.

Comentário