Doenças

Enxaqueca tem cura? Entenda a questão

Saber se enxaqueca tem cura é, geralmente, o primeiro objetivo de alguém que recém recebeu o diagnóstico do problema. A má notícia é que não se trata de uma condição curável, sob a ótica de que a cura significa nunca mais sofrer os seus sintomas. Há, no entanto, uma série de tratamentos que podem ajudar a reduzir a frequência e a intensidade das crises, bem como maneiras de tratar os sintomas quando elas ocorrem.

Isso não significa, é claro, que você não sofrerá um pouco com crises mais graves, ou que poderá viver sem nenhum tipo de preocupação em relação às dores que chegam aos poucos. Por outro lado, é possível ter qualidade de vida a longo prazo, sem que a enxaqueca se torne um fator de constantes impedimentos em sua vida.

Saiba mais um pouco sobre a resposta não tão simples para o questionamento da cura da enxaqueca, e entenda melhor a situação:

Enxaqueca ou dor de cabeça?

É normal que muitas pessoas sofram uma forte dor de cabeça e, assim que ela passa, busquem no Google se enxaqueca tem cura ou não. Se você achou até aqui dessa forma, a boa notícia é que nem toda dor de cabeça grave é um indicativo de enxaqueca.

A enxaqueca envolve uma série de alterações químicas no cérebro, que evoluem para uma condição que soma vários problemas incômodos que incluem, além da dor de cabeça, náusea, vômito, fraqueza, tontura e, muitas vezes, problemas sensoriais diversos.

A enxaqueca precisa ser clinicamente diagnosticada. Se isso acontecer, o profissional responsável por sua saúde pode dar início a um tratamento que reduz significativamente os seus danos.

Afinal, enxaqueca tem cura?

Se você quer uma resposta objetiva para a questão “a enxaqueca tem cura?”, a forma correta de responder é: não, não há uma cura propriamente dita para a enxaqueca. Trata-se de uma condição que, muitas vezes, acompanha uma pessoa durante décadas em ondas de maior e menor intensidade, que podem ficar sem ocorrer durantes anos e retornar sem aviso, com crises mais frequentes que duram horas ou dias.

Há uma boa notícia?

Sim. Embora não exista uma cura para a enxaqueca, existem formas de reduzir seus danos e interferências na vida das pessoas. Normalmente, divide-se esses métodos em duas categorias: os tratamentos preventivos, e os tratamentos sintomáticos. Ambos incluem medicamentos, hábitos e boas práticas, com o objetivo de tornar sua convivência com a condição a menos traumática possível.

Tratamentos preventivos

Os tratamentos preventivos são aqueles que buscam reduzir a frequência das crises de enxaqueca, bem como a intensidade dos sintomas quando elas acontecem. Eles podem ser baseados apenas na determinação de certas práticas, como uma boa dieta, hábitos saudáveis e práticas preventivas, ou incluir o uso de medicamentos.

Neste segundo caso, os medicamentos são tomados diariamente, mesmo em períodos em que não há nenhum sintoma acontecendo. Os medicamentos costumam ser mantidos enquanto apresentarem efeitos positivos.

Tratamento dos sintomas

O tratamento dos sintomas é aquele que ocorre quando a pessoa já está passando por uma crise de enxaqueca. Normalmente, trata-se do uso de medicamentos que aliviem a dor e as náuseas, bem como o uso de certas suplementações que ajudem seu corpo a reagir à situação na qual se encontra.

Recomendados para você:

Comentário