Gravidez

Enxaqueca na gravidez: causas, dicas e cuidados

Se você está grávida, certamente já experimentou ou vai experimentar dores de cabeça (assim como várias outras dores), mas a enxaqueca na gravidez é uma preocupação especialmente dolorosa. Embora não aconteça com todas as mulheres grávidas, este é um problema muito comum, que pode ser aliviado em grande medida com os cuidados e técnicas corretas.

Algo a ser levado em consideração é a diferença nas possibilidades de tratamento dos sintomas: as mulheres grávidas devem ter cuidado especial em relação ao tipo de remédio consumido durante o período, tanto em função das interações com as mudanças hormonais, quanto em função de potenciais danos ao bebê.

A boa notícia é que, por ser um problema comum, o tema é constantemente estudado, e recebe melhorias graduais à medida que o tempo passa. Confira quais são as principais causas, formas de tratamento e cuidados com a enxaqueca na gravidez:

As causas da enxaqueca na gravidez

A causa da enxaqueca, como um todo, não é conhecida. Sabe-se, no entanto, que a origem das crises envolve mudanças neuroquímicas ligadas ao fluxo sanguíneo no cérebro. Entende-se que a liberação de certos componentes químicos no cérebro irrita os vasos sanguíneos, causando inchaços e, como uma resposta, a dor.

O hormônio feminino estrogênio é reconhecidamente importante no caso das enxaquecas. Não à toa, menopausa, menstruação e gravidez costumam estar associadas a gatilhos de crises do problema.

Quando se fala em enxaqueca na gravidez, a interpretação mais comum é que os picos de liberação e redução hormonal constantes durante o período geram essa irritação química no cérebro, criando o ambiente perfeito para uma crise dolorosa.

Mantendo registro das enxaquecas

Embora não exista uma cura definitiva ou uma maneira de evitar que as enxaquecas ocorram, existem alguns truques especialmente importantes para as mulheres grávidas serem afetadas da forma mais branda possível.

Trata-se de um registro de possíveis gatilhos, que pode ser feito com tabelas ou em um caderno. Cada vez que você sofrer de uma crise de enxaqueca ou dores de cabeça fortes, tente anotar o que você comeu, bebeu, fez ou utilizou. À medida que essas crises ocorrerem, você provavelmente perceberá que alguns itens parecem frequentes nas rotinas que deram início à enxaqueca, podendo ser identificados como gatilhos a serem evitados durante a gravidez.

Gatilhos comuns da enxaqueca na gravidez

Chocolate, comidas muito gordurosas e alimentos com adoçantes ou preservantes químicos estão entre os principais gatilhos observados para a enxaqueca. Também é muito comum que um dia em que você consumiu pouca água, ou muitos alimentos que favoreçam a desidratação, seja um gatilho para a crise.

Algumas mulheres, ainda, percebem a cafeína como um gatilho frequente para a enxaqueca. Ao mesmo tempo, muitas encontram nas pequenas doses de cafeína um aliado de combate às dores da crise. Por isso é tão importante manter um diário pessoal que identifique quais alimentos são benéficos ou prejudiciais para você.

Cuidados necessários durante crises de enxaqueca na gravidez

Além de manter uma rotina preventiva que evite estes gatilhos comuns, é importante dar muita atenção à forma como você combate os sintomas da enxaqueca. Durante a gravidez, alguns remédios são especialmente perigosos, e é importante conversar com os profissionais responsáveis por sua saúde a respeito do que será permitido e do que será proibido durante o período.

Nunca tome medicações com base em decisões próprias. Embora esse seja um método bastante comum para o tratamento de enxaquecas, é necessário reconhecer que seu organismo está bastante diferente durante a gravidez, e os riscos não compensam a tentativa.

Por isso é tão importante apostar em opções preventivas, que envolvem desde uma rotina mais descansada, com dieta regrada, até suplementação/medicamentos que sejam seguros para a gestação. Nos casos de crise, sempre conte com o acompanhamento médico.

Recomendados para você:

Comentário