Doenças

Enxaqueca com aura: entenda a condição

Se você sabe quando uma crise está vindo simplesmente porque alguns sintomas começaram a aparecer, é provável que você vá sofrer uma enxaqueca com aura. Você começa a sentir uma certa tontura e sinais confusos em sua audição. Linhas em zigue-zague, formatos estranhos em seu campo de visão e o constante incômodo com a luz intensificam o problema.

A enxaqueca com aura acontece em cerca de uma a cada quatro enxaquecas. Felizmente, quem sofre com auras nem sempre terá essa desagradável experiência a cada crise de enxaqueca. Em alguns casos mais raros, é possível, ainda, que você sofra os sintomas da aura sem uma enxaqueca com cefaleia posterior.

Qualquer que seja o caso, a enxaqueca com aura não é mais perigosa que uma enxaqueca comum, mas certamente é mais desagradável. Assim como a condição principal, essa fase não tem cura e não pode ser totalmente evitada. Por isso, é bom conhecer suas características, ocorrências mais comuns e maneiras de lidar com os sintomas.

Causas da enxaqueca com aura

As causas não enxaqueca não são totalmente claras, e inúmeros fatores contribuem com o problema. Questões genéticas, alimentares, ambientais e fisiológicas contribuem para o desenvolvimento de um cenário químico no qual os neurotransmissores levam a um doloroso processo inflamatório.

Nos casos em que há a fase a aura, essa confusão elétrica no cérebro afeta as partes responsáveis pelos sentidos básicos, gerando uma confusão na capacidade de enxergar, ouvir, falar, sentir e locomover-se.

Quais são os sintomas da enxaqueca com aura?

A fase da aura é aquela que afeta os sentidos da pessoa. Isso significa que vários tipos de confusão com os cinco sentidos – bem como a sua capacidade de equilíbrio e locomoção – são somadas aos sintomas já característicos de uma enxaqueca comum.

Essa fase chamada de aura geralmente começa cerca de uma hora antes da cefaleia ter início, e pode passar ou continuar uma vez que a dor de cabeça começa. Entre os principais sintomas dessa fase, destacam-se:

  • Pontos cegos na visão;
  • Perda de visão temporária em um ou nos dois olhos;
  • Enxergar padrões geométricos ou luzes piscantes à sua frente;
  • Alucinações diversas;
  • Sensação de dormência, coceira ou leves pontadas no corpo;
  • Dificuldades na fala;

A identificação de alguns destes sintomas – sobretudo com antecedência à crise de dor de cabeça – é essencial para o correto diagnóstico do problema. Somente após o diagnóstico é possível buscar o combate destes sintomas.

Tratamentos para enxaqueca com aura

Assim como ocorre com todos os tipos de enxaqueca, não existe um tratamento definitivo para este tipo de problema. Há, no entanto, dois tipos de esforços distintos: o tratamento dos sintomas, que deve ser feito com procedimentos e medicamentos testados ao longo de diferentes crises, com a observação das respostas do seu corpo, e o tratamento preventivo.

Não há nenhum tratamento preventivo que garanta que você não tenha crises. É possível, no entanto, que alguns tipos de hábitos evitem gatilhos comuns relacionados à alimentação, a hábitos nocivos e negligências que favoreçam o aparecimento deste tipo de problema.

É especialmente importante saber quais medicações são úteis para você, e quais delas parecem simplesmente piorar a situação. Uma boa dica é utilizar o chamado “diário” de crises, no qual você determina especificidades de sua alimentação, atividades físicas, situações atípicas, medicações e dores. Este tipo de esforço pode ajudar você a perceber gatilhos para as suas dores, bem como situações nas quais as crises se tornam menos frequentes.

Isso permite que você dose uma rotina que ofereça melhor qualidade de vida, fazendo a “sua parte” no não favorecimento destas situações extremamente desagradáveis.

Recomendados para você:

Comentário