Exercícios e Musculação

Diferença entre Cutting e Bulking: saiba mais e evite erros

bulking-cutting

Talvez os nomes até assustem os menos informados ou quem não tem muita intimidade com academia. Mas fazer Bulking para ganhar peso e massa muscular e Cutting para reduzir gordura são a base de qualquer programa de musculação, e não apenas ideais de fisiculturistas.

É sobre essas duas palavrinhas, os erros mais comuns que envolvem a prática delas e suas controvérsias que vamos conversar hoje. Preparado?

Bulking na musculação: o que fazer para ter sucesso

bulking-cuttingPrimeiro, saiba que nada acontece em um passe de mágica. Um dos principais enganos cometidos no Bulking é comer tudo o que se vê pela frente, achando que vai ganhar massa muscular em um piscar de olhos. Isso é mais conhecido como “Bulking Sujo”.

O que acontece nessa prática equivocada é o aumento rápido de volume. Mas a pressa é inimiga da perfeição, já diz o ditado, e cobra um preço alto: níveis de gordura elevados e definição comprometida.

Pense: de que adianta ficar “maior” sem qualidade? Aliás, isso não combina em nada se você adotou a musculação como um estilo de vida e quer fazer as coisas da maneira certa, para ter efeitos mais consistentes e duradouros. Certo?

O foco do Bulking deve ser aumentar a massa magra e ganhar o mínimo possível de gordura. Tudo bem que nessa fase perde-se um pouco da definição. Mas isso não significa enfiar o pé na jaca e comer de qualquer jeito.

Para ter equilíbrio e alcançar sua meta, veja as dicas abaixo:

  • Elevar o consumo calórico, aumentando a quantidade de proteínas, carboidratos e ácidos graxos essenciais. Afinal, não vamos apenas executar as tarefas diárias e, sim, treinar!

O ideal nessa etapa de ganho de massa muscular é cerca de 500 calorias a mais do que precisamos diariamente em nossa dieta.

  • Outro detalhe importante: na fase Bulking, coma alimentos “limpos” a cada 3/4 horas; coma no mínimo 5 vezes ao dia.
  • Invista nos exercícios aeróbicos para minimizar os ganhos de gordura durante o Bulking. Só tome cuidado para o tiro não sair pela culatra, ou seja, reduzir sua massa magra no cardio.

O método Hiit (Treinamento Intervalado de Alta Intensidade) por uns 15 minutos, uma ou duas vezes por semana, já é o suficiente.

Bulking e Cutting: como atingir seus objetivos 

A ingestão de carboidratos faz a diferença entre uma dieta de Bulking e Cutting. Enquanto na primeira você aumenta o consumo de carboidratos complexos em praticamente todas as refeições, na segunda eles são cortados quase por completo, mas mantendo a base original do regime.

E as proteínas? Bem, as quantidades de proteínas e gorduras não precisam ser alteradas nas duas fases. O segredo é manipular a insulina a seu favor, para ajudar a ganhar peso no Bulking e queimar gordura na hora do Cutting.

Quanto à musculação, na fase Bulking são priorizados os exercícios compostos; na etapa Cutting, os isoladores. Pequenos detalhes que fazem toda a diferença no resultado final.

Ah! E quando chegar à etapa Cutting, não caia na tentação de perder peso muito rápido e comprometer os ganhos de massa muscular que suou tanto para conseguir no Bulking.

Por falar em tempo, não há regra para a duração de cada período. Há quem afirme que o ideal é dividir o ano em duas partes, com seis meses para o Bulking e o restante para o Cutting. Outros passam 90 dias no ganho de peso e o tempo que for preciso para atingir uma boa definição do corpo.

Está vendo como não tem nenhum mistério, e você pode “esculpir” seus músculos sem prejudicar sua saúde? Aposte nos nutrientes certos, nas quantidades adequadas, capriche no treino e boa sorte.

As dicas estão aí. Agora é com você!

Leia também:

Comentário