Doenças

Diabetes: como ela afeta sua saúde

Diabetes

Diabetes não chega a ser uma palavra desconhecida. Afinal, seja através da mídia, de um parente ou amigo ou, ainda, por condição própria, grande parte das pessoas conhece o problema.

O que muita gente não sabe é que não se trata de uma doença única, mas de um grupo de enfermidades com um ponto em comum: elevação do nível de glicose no sangue. Uma alteração no metabolismo dessa substância que pode ser causada pelas seguintes situações:

  • Diabetes tipo I: nesse caso, o pâncreas produz pouca ou nenhuma insulina. Ele acontece mais durante a infância e a adolescência, exigindo a aplicação diária de insulina, ou seja, é insulinodependente.
  • Diabetes tipo II: aqui as células são resistentes à atuação da insulina. Ele geralmente surge em pessoas acima dos 40 anos e pode não ser insulinodependente.
  • Diabetes gestacional: como o nome já diz, acontece durante a gravidez. Na maioria dos casos, o excesso de peso da mãe provoca esse distúrbio.
  • Diabetes associados às pancreatites alcoólicas e ao uso de certos medicamentos, entre outras patologias.

O desequilíbrio do metabolismo da glicose é provocado pela ausência ou má absorção de insulina, um hormônio produzido pelo pâncreas. A função dele? Dissolver moléculas de glicose para transformá-las em energia a ser utilizada por todas as células.

Os fatores de risco são: estresse emocional; obesidade; hereditariedade; sedentarismo; pressão alta; níveis elevados de triglicérides e colesterol; remédios, como os à base de cortisona; idade acima dos 40 anos (diabetes tipo II).

Conheça os sintomas do Diabetes

  • Alterações na visão
  • Aumento do apetite
  • Distúrbios cardíacos e renais
  • Feridas (principalmente nos membros inferiores) que demoram a cicatrizar
  • Impotência sexual
  • Infecções por fungos nas unhas e pele
  • Neuropatias diabéticas causadas pelo comprometimento das terminações nervosas
  • Poliúria: quando a pessoa urina demais, fica desidratada e, por consequência, sente muita sede (polidpsia)

Entenda como funciona o tratamento do Diabetes

O tipo I (insulinodependente) exige o uso de insulina por via injetável para dar ao corpo esse hormônio que o pâncreas não produziu. Parar de tomar o medicamento pode causar a cetoacidose diabética, colocando a vida do paciente em risco.

O tipo II é administrado por remédios via oral, isto é, não necessita de aplicação de insulina. Porém, quando descompensado, pode levar ao coma hiperosmolar, que pode ser fatal.

Fazer exercícios físicos constantemente é de vital importância na redução da quantidade de glicose nos tipos I e II de Diabetes.

Para melhores resultados terapêuticos, o Diabetes não deve ser separado de outros distúrbios nas glândulas. Além da obesidade, devemos considerar também problemas metabólicos, como excesso de hormônio do crescimento, de cortisona ou adrenalina.

O controle do Diabetes depende muito de uma dieta alimentar equilibrada, com acompanhamento profissional. Psicólogos e psiquiatras também podem ajudara reduzir consideravelmente o peso, criando a possibilidade de diminuição nas doses dos medicamentos.

Se você tem Diabetes ou conhece alguém que sofre com o problema, aqui vão algumas recomendações:

  • Siga sempre as orientações não apenas do seu médico, mas dos demais profissionais que compõem a equipe multidisciplinar.
  • Procure ajuda para elaborar um regime alimentar criterioso, de acordo com o seu caso. E lembre-se: uma vez ou outra, você poderá saborear os alimentos de que mais gosta; não é necessário cortá-los de vez.
  • Aposte em um programa regular de exercícios físicos para ajudar no controle do açúcar no sangue. Faça disso uma prioridade!
  • Busque auxílio para largar o cigarro. O fumo deixa artérias e veias estreitas. O tabagismo pode acelerar o aparecimento de complicações, já que o Diabetes prejudica a circulação nos pequenos vasos sanguíneos (retina e rins) e nos grandes vasos (coração e cérebro).

Viva melhor! Até mais!

1 Comentário

Comentário