none

Chá de xaxim

O nome xaxim nos remete, quase que imediatamente, ao cultivo de samambaias e outras plantas ornamentais, já que a planta foi, por muito tempo, utilizada na fabricação de vasos e cachepôs – tal exploração, aliás, proibida desde de 2000, conforme resolução 278/2001 elaborada pelo CONAMA – Conselho Nacional do Meio Ambiente. No entanto, embora talvez muitos ainda não saibam, é que as folhas da árvore, também conhecida como samambaiaçu e samambaiaçu-imperial, e que faz parte da flora nativa da região sul do país, é possível extrair propriedades medicinais potentes, principalmente, contra doenças respiratórias. 

Obtido por meio de infusão (planta imersa em água fervente e deixada em recipiente fechado por alguns minutos) ou decocção (planta fervida junto com a água), o chá de xaxim pode ser empregado tanto no uso externo, em compressas e banhos, por exemplo, quanto no uso interno, por ingestão. Através do uso externo, as propriedades do chá de xaxim auxiliam no tratamento de doenças como psoríase, caspa e micose. Já através de sua ingestão, o chá é um poderoso aliado no tratamento de doenças respiratórias, como a asma e a bronquite.

Embora o seu uso medicinal, muito provavelmente, já fosse praticado por povos primitivos, em descoberta ocorrida há pouco mais de dez anos, e confirmada por estudos realizados simultaneamente por diversas universidades federais brasileiras, o chá de xaxim mostrou-se extremamente eficaz no combate à asma, mal que acomete, aproximadamente, 20% dos brasileiros, e que, segundo a OMS – Organização Mundial da Saúde – cerca de 300 milhões de pessoas em todo o mundo são portadoras da doença.

De maneira simplificada, a asma nada mais é do que a inflamação crônica das vias aéreas, inflamação que aumenta a produção de muco que, por sua vez, agrava a inflamação. Este ciclo, então, é bloqueado pelos compostos fitoquímicos existentes no xaxim, daí sua eficácia. Há, porém, mais benefícios proporcionados pelas substâncias contidas no chá de xaxim. Graças à presença de polifenóis, ácido gálico e ácido protocatecuico, o seu uso também se mostrou útil na prevenção e tratamento de doenças cardiovasculares, doenças crônicas e, também, de doenças degenerativas, graças à sua potente propriedade antioxidante. 

Além dos efeitos já mencionados, segundo constatações obtidas através dos estudos realizados, o chá de xaxim teria também o poder de inibir doenças inflamatórias do sistema respiratório, ação vasodilatadora, cicatrizante, analgésica, antibiótica, agindo, consequentemente, muito bem contra gripes e resfriados, e no controle de reações alérgicas. No entanto, é preciso cautela redobrada ao recorrer ao tratamento fitoterápico com o chá de xaxim. Primeiro, por conta dos riscos que todo chá medicinal, assim como remédios industrializados oferecem, caso sejam utilizados sem indicação ou de forma desmedida.

é preciso, antes de mais nada, procurar um médico ou nutricionista que tenha conhecimentos sobre o tema, para que o profissional capacitado verifique a real indicação para cada caso, bem como as dosagens, a frequência, e adequação ao perfil e condições de saúde de quem fará o uso. Em segundo lugar, mas tão relevante quanto, é a procedência do chá de xaxim obtido, uma vez que a planta, de nome científico Dicksonia sellowiana, integra a lista de espécies seriamente ameaçadas de extinção. Nesse sentido, torna-se importante verificar se o chá de xaxim a ser adquirido é produzido de forma legal e em conformidade com a legislação vigente, pela proteção da espécie. 

Recomendados para você: