none

Chá de capim-santo

De nome científico Cymbopogon citratus, o capim santo, também conhecido como erva-príncipe em Portugal e, no Brasil, como capim-cidreira ou capim-limão, é uma planta nativa das regiões tropicais da Ásia, sendo endêmico, também, na Índia, largamente cultivada e utilizada no Brasil. Suas folhas são estreitas, longas e de coloração verde-clara. Embora seja semelhante e, em não raras vezes, confundido com a erva-cidreira, o capim santo é uma planta medicinal, empregada não somente como remédio, como também em cosméticos, na produção de sabonetes, shampoos, cremes, e na aromaterapia.

Além destes usos, seu óleo essencial também mostrou-se muito eficaz se utilizado como repelente de insetos. O melhor método de preparação do chá de capim santo, para que se possa extrair a maior quantidade possível de suas propriedades, é a infusão: imersão das folhas ou sachês em água fervente e deixar agir, em recipiente fechado, por alguns minutos. Amplamente utilizado, há séculos, como planta medicinal, o capim santo teve suas propriedades comprovadas por estudos científicos, seus efeitos sendo, então, justificados pela presença de inúmeros compostos, como flavonóides, alcalóides e triterpenos. 

Um dos seus princípios ativos, o citral, é um composto aromático que tem participação na síntese de vitamina A, e tem poder antimicrobiano e antifúngico, e é a substância responsável pelo odor de limão. Outra substância importante é o mirceno, hidrocarboneto componente de óleos essenciais, entre eles, o óleo essencial do capim santo, também aromático, lhe tem sido atribuída a propriedade analgésica. Além destes, também compõem o capim santo o geraniol, o metileugenol, o citronelal, o ácido acético e o ácido capróico.  

Além dos benefícios obtidos pela ingestão do chá, o seu uso na aromaterapia promove relaxamento e é muito utilizado no combate aos males da vida moderna: ansiedade, depressão e estresse. Outra propriedade importante atribuída ao capim santo é a inibição da coagulação sanguínea. O uso tópico, empregado em cataplasmas – uma espécie de massa medicamentosa – ou em banhos, atua no alívio de dores musculares, dores abdominais, dores de cabeça, dores articulares, entre outros. Ainda falando sobre o uso tópico, mas do óleo essencial do capim santo, seu uso se mostrou eficaz em tratamentos de ferimentos, devido ao seu potencial antisséptico, que evita infecções.

Além do uso em ferimentos, por ser antifúngico, o extrato ainda pode ser aplicado em tratamentos de micoses e frieiras. Por ser, também, desintoxicante, o chá de capim santo auxilia no processo de eliminação de toxinas dos tratos digestivo e excretor. Tantas propriedades medicinais, no entanto, exigem atenção ao utilizar o chá de capim limão. Assim como medicamentos industrializados, antes de lançar mão do uso de plantas medicinais, convém procurar um médico ou nutricionista que tenha conhecimentos fitoterápicos, para que o profissional capacitado possa avaliar perfil, estado de saúde, histórico de doenças e alergias de quem fará o uso, bem como a existência de real indicação.

Para evitar interações prejudiciais à saúde, além de determinar uma dosagem e uma frequência adequadas a cada caso. Tal cuidado é necessário, pois há efeitos colaterais, como o risco de queimaduras, no caso de uso tópico, sonolência excessiva, pressão baixa e diarreia, no caso de ingestão excessiva. É importante lembrar que gestantes devem evitar o uso do capim santo, pois devido à ação relaxante muscular de seus compostos, o relaxamento uterino pode ocasionar aborto.

Recomendados para você: