Doenças

Candidíase vaginal: sintomas, riscos e tratamentos

A infecção vaginal por fungos, mais conhecida como candidíase vaginal, é uma condição feminina muito comum. Uma vagina saudável naturalmente possui uma certa concentração de bactérias e fungos. Quando, no entanto, o equilíbrio entre esses organismos é modificado, é possível que as células de fungos se multipliquem com muito mais velocidade. Neste caso, é comum que a sensação de coceira intensa, inchaços e irritação.

Tratar a candidíase vaginal pode aliviar os sintomas dentro de alguns dias. Em casos mais severos, o tratamento pode durar até duas semanas. As infecções vaginais por fungos não são consideradas estritamente doenças sexualmente transmissíveis, embora o problema possa ser transmitido por sexo. Mesmo mulheres que não são sexualmente ativas, no entanto, podem sofrer com a candidíase.

Além disso, uma vez que você sofre uma candidíase vaginal, a tendência é que o problema ocorra mais algumas vezes em sua vida. Saiba mais sobre essa condição que está longe de ser especialmente arriscada, mas certamente é incômoda:

Sintomas

Os principais sintomas da candidíase vaginal são a coceira na região vaginal, bem como o inchaço nas áreas internas e a sensação de ardência enquanto a pessoa urina ou pratica sexo. Vermelhidão e aparência esfolada também são sintomas visuais comuns na região.

Além disso, é comum perceber um aumento de corrimentos vaginais esbranquiçados e viscosos, embora outras colorações e densidades sejam igualmente normais. Quanto mais tempo você permitir que a candidíase se desenvolva, mais severos tendem a ser estes sintomas.

Principais causas da candidíase vaginal

Em primeiro lugar, é necessário considerar que o fungo Candida é um micro-organismo que naturalmente está presente na região vaginal. O fungo disputa sua sobrevivência, no entanto, com algumas bactérias. Quando há um desequilíbrio neste sistema, as bactérias perdem a “força” de equilibrar a região.

Isso permite um superdesenvolvimento dos fungos, causando os sintomas do que entendemos por candidíase. Diversos fatores podem causar essa mudança no equilíbrio, desde doenças como a diabetes, problemas imunológicos e o estresse, até circunstâncias alimentares ruins, desequilíbrios hormonais, a gravidez e o consumo de antibióticos.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico da candidíase vaginal é feito de forma razoavelmente fácil, bastando uma conversa sobre os sintomas e o histórico com um profissional da área médica. Além disso, pode ser feito um exame físico nas paredes da vagina, bem como a observação de demais sintomas na região.

Dependendo do que for observado, é possível a coleta de material para determinar o tipo de fungo que está causando a condição, especialmente se houver suspeita de que uma espécie menos comum é a responsável pela candidíase.

O tratamento, por sua vez, é realizado de acordo com o tipo de Candida que está infeccionando a região. Normalmente, divide-se os tipos de tratamento de acordo com a gravidade dos sintomas. Para infecções simples, remédios via oral ou cremes são suficientes para tratamentos curtos de até três dias. Em casos mais graves, é possível que o uso combinado de medicamentos dure até duas semanas, com o objetivo de reduzir as recorrências do problema.

Formas de prevenção

Embora a candidíase vaginal não seja completamente controlável, existem formas de reduzir as chances de o problema afetar você. A primeira dica é manter uma alimentação saudável, especialmente com a presença de iogurtes naturais e alimentos ricos em lactobacilos, que são justamente as bactérias que combatem o crescimento dos fungos.

O uso de roupas íntimas feitas em fibras naturais – especialmente o algodão – sempre limpas também reduzir as chances de desenvolvimento do fungo. Ainda tratando das roupas, é importante evitar calças e calcinhas que sejam muito apertadas na região íntima, assim como roupas molhadas ou úmidas. O uso frequente de produtos íntimos aromatizados também pode ser prejudicial no que diz respeito ao desenvolvimento dos fungos.

Recomendados para você:

Comentário