Doenças

Candidíase peniana: sintomas, riscos e tratamento

Embora o acúmulo de fungos na região genital seja muito mais recorrente em mulheres, sua ocorrência se dá em qualquer gênero, podendo ser chamada de candidíase peniana, quando afeta a região genital masculina. Embora o tratamento da condição seja razoavelmente simples na maior parte dos casos, seu não tratamento pode levar a dores e desconfortos intensos, além de sintomas que podem evoluir para complicações gravíssimas e, em últimos casos, potencialmente fatais.

Justamente por isso, é tão importante saber mais sobre o assunto. Saber identificar o problema é a principal maneira de converter algo potencialmente grave em uma condição fácil de ser tratada, sem nenhuma complicação relevante. Além disso, alguns cuidados básicos reduzem as chances de sofrer do problema.

Saiba mais sobre a candidíase peniana, seus sintomas, tratamentos e cuidados necessários para evitar que a condição se torne um problema real em sua vida:

Sintomas da candidíase peniana

Os sintomas mais comuns da candidíase peniana geralmente são reconhecidos através de vermelhidões e áreas com esfolamentos e descascamentos da pele do pênis e arredores. Em alguns casos, pode-se encontrar substâncias líquidas esbranquiçadas nas dobras da pele, e a coceira e sensação de queimação tende a estar presente nessas situações.

Vermelhidão, coceira e dores significativas e constantes podem ser indícios de condições ainda mais graves, como vários tipos de doenças sexualmente transmissíveis. Por isso, é importante não ignorar estes sintomas, pensando que se trata “apenas” de candidíase.

Principais causas

A causa da infecção é um fungo chamado Candida. O fungo está presente em diversos pontos de nosso corpo normalmente, e não costuma ser um problema. Porém, quando certas condições favorecem o seu desenvolvimento, as quantidades do fungo começam a se multiplicar de forma descontrolada, gerando a infecção que chamamos de candidíase.

No caso dos homens, a forma mais comum de transmissão é o sexo sem proteção. É possível, no entanto, que o desenvolvimento da condição ocorra sem origem sexual, especialmente através de má higiene ou de um sistema imunológico com capacidades reduzidas.

Fatores de risco para a candidíase peniana

Além do sexo desprotegido com alguém que possua candidíase, diversos outros fatores aumentam as chances de desenvolvimento da condição. Não ser circuncidado, por exemplo, aumenta as chances de desenvolvimento acelerado das populações do fungo.

Hábitos inadequados de higiene e, até mesmo, não secar corretamente a região genital também são fatores de risco relevantes, que não devem ser ignorados.

O uso prolongado de antibióticos e a existência de alguma condição que reduza as capacidades de seu sistema imunológico também são causas que aumentam significativamente seu risco de infecção por fungo.

Diagnóstico

O diagnóstico da candidíase peniana geralmente resume-se à análise dos sintomas e à observação dos genitais. Em alguns casos, pode ser feita a coleta de substâncias para a análise em microscópio, determinando exatamente o tipo do fungo.

Embora o diagnóstico possa ser feito com certa precisão em casa e a maior parte dos medicamentos estejam disponíveis em farmácias sem a necessidade de prescrição médica, evite tentar resolver o problema por conta. Como já mencionado, a candidíase peniana pode ter sintomas muito semelhantes a outras condições mais graves, e a tentativa de tratamento caseira pode dar tempo para que essa outra doença se desenvolva.

Tratamento

Na maior parte dos casos, o tratamento da candidíase peniana é feito através e cremes e medicações horais que duram alguns poucos dias. O tratamento pode ser mais longo em casos mais graves, e pode evoluir para o uso de medicamentos controlados quando for observado um maior potencial de risco na condição.

Em geral, quanto antes o problema for diagnosticado, mais rápido e simples será o tratamento. Quando a condição já evoluiu de forma muito significativa, é possível que o tratamento possa durar alguns meses. Por isso, recomenda-se buscar ajuda o quanto antes.

Recomendados para você:

Comentário